Postado por Bento Jr Advogados em 13/07/2017 com 0 comentários
Categorias:  Publicações

Como administrar suas finanças

Administrar as finanças de uma empresa é um desafio, pois o administrador fica responsável pela gestão da produção e dos funcionários, e com isso surge o risco de não dar a atenção necessária à determinados fatores, como dívidas ou necessidades de investimento, o que pode colocar o negócio em risco.

Pensando nisso, elaboramos elaboraram sete dicas para ajudar empreendedores a administrar as finanças da empresa:

1) Educação financeira

Mantenha as suas finanças pessoais em dia porque quem não sabe controlar as próprias contas terá muita dificuldade para administrar o caixa da empresa.

2) Pró-labore

Determine o valor do pró-labore (remuneração do sócio ou gerente) e não faça retiradas extras do caixa da empresa. Nunca misture suas finanças pessoais com as finanças do negócio.

3) Demonstrativo de resultados

Tenha bem estruturado o demonstrativo de resultados para, a partir dele, acompanhar a situação financeira e saber quais são as possibilidades do empreendimento. Dessa forma, é possível planejar os investimentos no negócio sem afetar as contas do dia a dia.

4) Conceitos

Saiba qual a diferença entre faturamento, lucro, despesas e investimentos. Faturamento é o total arrecadado pela empresa ao longo de um determinado período. Lucro é o saldo positivo do negócio após o desconto de todos os gastos.

Despesas são todos os gastos relacionados à manutenção da atividade do negócio (matéria-prima, salários, gastos de escritório etc.).

Investimento é o dinheiro que será aplicado para maximizar os lucros da empresa em determinado período.

5) Riscos

Entenda que, muitas vezes, é necessário assumir riscos para chegar ao sucesso, mas é preciso fazer isso com consciência, analisando todos os cenários possíveis para se precaver contra possíveis ameaças.

6) Dívidas

No caso de dívidas, verifique se o negócio está dando lucro e qual a sua capacidade para pagar as despesas. Se a companhia estiver no vermelho, estabeleça prioridades, considerando o custo de cada dívida e o risco do não pagamento.

Se houver corte no fornecimento de algum serviço ou produto que prejudique a atividade do negócio, por exemplo, o melhor a fazer é buscar alternativas para quitar o débito eliminando cobranças indevidas para diminuir a dívida.

7) Custos

Procure reduzir os custos improdutivos, ou seja, aqueles que não se revertem em ganhos ao negócio ou ao cliente, e o desperdício (que pode ser de matéria-prima, de energia etc.). Às vezes, pequenas mudanças geram grandes resultados.

 

Fique longe dos juros abusivos!

Sabemos que acumulo de dívidas pode trazer a falência da empresa, portanto é importante a empresa ter conhecimento e controle do que está pagando. As dívidas bancárias são as que mais prejudicam as empresas, pois devido juros e tarifas a dívida pode duplicar.

Em casos onde a empresa já está com um endividamento bancário que supre metade de seu faturamento o ideal é recorrer a Revisão de Contrato Bancário, com essa ação a empresa conseguirá fôlego para reestruturar a empresa e poderá revisar todos os contratos que tem junto ao banco, como financiamento, capital de giro, empréstimos etc., e eliminar juros e taxas que o banco cobrou indevidamente.

Com a ação de Revisão Bancária a empresa pode economizar até 70% da dívida e poderá pagar conforme o seu fluxo de caixa.

Se sua empresa se encontra envidada com bancos, entre em contato com a Bento Jr. Advogados e saiba como podemos ajudar. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *