Postado por Bento Jr Advogados em 16/03/2017 com 0 comentários

Quando se trata do tema endividamento, não importa o porte da empresa, sempre pode haver algum tipo de compromisso financeiro fora de ordem. Ter dívidas não é um problema sem solução, muito pelo contrário, pode até ser saudável quando os recursos são utilizados para financiar o crescimento e o desenvolvimento da companhia.

No entanto, é necessário um planejamento muito bem feito para que o excesso de dívidas não prejudique o desenvolvimento que pode resultar em inadimplência, e consequentemente execução judicial e penhoras (dinheiro, bens ou garantias).
Quando ocorre uma quebra de caixa ou instabilidade econômica como o país esta vivendo, é necessária uma análise das dívidas.   

Quando uma companhia chega ao ponto de o endividamento impedir seu crescimento, deve se iniciar a análise para que as dívidas sejam revisadas, antes das execuções (cíveis, comerciais ou trabalhistas).
Um importante ponto que merece ser destacado diz respeito à recuperação judicial ou extrajudicial, opção de muitas empresas, sendo que em grande parte dos casos ela não é aconselhável, podendo ser substituída pela revisão dos contratos de forma muito mais eficaz.

Na recuperação judicial ou extrajudicial, além de tratar de um procedimento mais oneroso e complexo (sendo que na rec. Judicial a empresa deve preencher inúmeros requisitos), depende da existência aprovação de um plano de recuperação que poderá ou não ser homologado pelo juiz, bem como, necessariamente, deverá contar com a aprovação de todos os credores. Tal
fato faz surgir conflito de interesses entre os credores, dificultando a realização de bons acordos.

Assim, para fugir da falência, os empresários precisam de medidas para ganharem fôlego e fazerem a reestruturação das dívidas da empresariais. Com a Revisão de Contrato Bancário é possível preservar o fluxo de caixa empresarial e, se for o caso, a opção pela recuperação extrajudicial ou judicial da empresa. 

Principais Vantagens

1. Redução de até 70% dos valores das parcelas mensais dos empréstimos

2. Suspensão dos débitos em conta corrente dos empréstimos

3. Realização de pagamento em juízo das parcelas

4. Possibilidade de obstar a restrição nos cadastros de crédito

5. Possibilidade de impedir o banco de retomar os bens dados em garantia das dívidas, tais como imóveis, veículos, maquinário

6. Possibilidade de impedir atos de penhora em conta bancária

7. Possibilitar a empresa o “fôlego” necessário para sua reestruturação financeira 8. Evitar a recuperação judicial e a falência da empresa

9. Os valores economizados através da redução dos valores das parcelas servirão para quitação futura dos contratos com redução de até 60% do saldo devedor através de acordos homologados judicialmente

10. Os honorários advocatícios cobrados pelo nosso escritório são divididos de acordo com a possibilidade de pagamento de cada cliente

A tendência é de que no Brasil boa parte das empresas se interesse por utilizar a presente solução para o endividamento, pois “A lei permite que empresas possam recorrer ao Judiciário e fazer uma revisão contratual e realinhar um planejamento de pagamento junto as instituições financeiras e bancos. Lembramos os empresários brasileiros, que os bancos sempre se direcionam no sentido de negociação de dívidas, quando o Empresário demonstra esta bem assessorado juridicamente, já que a taxa de insolvência é considerada alta”. A revisional contratual judicial é uma saída para empresas se reestruturar internamente suas finanças, como a primeira cartada para muitas empresas endividadas.

Com o ajuizamento da Revisional bancária contratual de reestruturação empresarial, o empresário deixa de lado o pensamento anteriormente obrigatório de como “apagar incêndios”, normalmente tentando equacionar o fluxo diário de caixa da empresa, para tomar novas mediadas táticas e estratégicas que permitem a continuidade do negócio, com resultado positivo.

Como funciona, dentre outros temas da especialidade bancária, a revisional bancária judicial, visa à manutenção da empresa no mercado, quando esta se mostra viável e capaz de prosseguir em suas atividades, tendo como opção a realização das operações de negociações dívidas.

 A Empresa poderá conseguir um período de seis a doze meses de fôlego, após prévio diagnóstico da situação, onde o empresário terá um fôlego para “arrumando a casa” dar o retorno pretendido a todos seus credores.

Sua empresa precisa da Revisão Bancária? Entre em contato e tire suas dúvidas! 

 

 

Fonte: Mattoslimoeiro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *