Postado por Bento Jr Advogados em 03/02/2017 com 0 comentários

Diante do atual cenário econômico de nosso país, por via de consequência, estamos nos deparando com muitas empresas de pequeno, médio e até mesmo grande porte, enfrentando graves dificuldades financeiras para cumprir suas obrigações perante as instituições bancárias.

A revisão bancária proposta no presente artigo revela-se como uma “luz no fim do túnel” àquelas empresas que, fatalmente, não possuem mais condições de cumprir com a totalidade de suas obrigações bancárias, porém pretendem continuar realizando o pagamento de valores condizentes com suas atuais possibilidades.

Principais Vantagens

  • Redução de até 70% dos valores das parcelas mensais dos empréstimos
  • Suspensão dos débitos em conta corrente dos empréstimos
  • Realização de pagamento em juízo das parcelas
  • Possibilidade de obstar a restrição nos cadastros de crédito
  • Possibilidade de impedir o banco de retomar os bens dados em garantia das dívidas, tais como imóveis, veículos, maquinário
  • Possibilidade de impedir atos de penhora em conta bancária
  • Possibilitar a empresa o “fôlego” necessário para sua reestruturação financeira
  • Evitar a recuperação judicial e a falência da empresa
  • Os valores economizados através da redução dos valores das parcelas servirão para quitação futura dos contratos com redução de até 60% do saldo devedor através de acordos homologados judicialmente
  • Os honorários advocatícios cobrados pelo nosso escritório são divididos de acordo com a possibilidade de pagamento de cada cliente.

Frisa-se que cada um desses efeitos depende, exclusivamente, da estratégia adotada pela empresa variando conforme cada caso e se pauta no entendimento atual dos nossos Tribunais, objetivando impedir a falência de empresas com dificuldades econômicas.

Analisando a situação da empresa, elaboramos uma estratégia bem definida que objetiva diminuir os custos com bancos, concentrando o faturamento da empresa para capitalizá-la novamente e enfrentar o momento de crise vivenciado por nosso país. Nosso escritório de advocacia realiza um trabalho sério, o qual vem impedindo o fechamento de muitas empresas com dificuldades financeiras, as quais, inclusive poderão dar todas as referências sobre o trabalho desenvolvido.

Um importante ponto que merece ser destacado diz respeito à recuperação judicial ou extrajudicial, opção de muitas empresas, sendo que em grande parte dos casos ela não é aconselhável, podendo ser substituída pela revisão dos contratos de forma muito mais eficaz.

Na recuperação judicial ou extrajudicial, além de tratar de um procedimento mais oneroso e complexo (sendo que na rec. Judicial a empresa deve preencher inúmeros requisitos), depende da existência aprovação de um plano de recuperação que poderá ou não ser homologado pelo juiz, bem como, necessariamente, deverá contar com a aprovação de todos os credores. Tal fato faz surgir conflito de interesses entre os credores, dificultando a realização de bons acordos. Ademais, Recuperação Judicial não é um instrumento a ser utilizado por qualquer empresa. Dependendo da estrutura do endividamento, uma Recuperação Judicial pode acelerar a quebra da empresa, frisando que nem todos os contratos bancários podem ser abrangidos pela recuperação.

 

Para quais empresas a Revisão Bancária está direcionada?

“Para quaisquer empresas que não mais possuem condições de arcar com o pagamento de seus contratos bancários”

Grande parte das empresas nacionais utiliza-se de crédito fornecido por bancos para complementar seu capital de giro e proporcionar a manutenção de suas atividades empresarias. Normalmente, mantêm linhas de crédito com várias instituições financeiras, obrigando-se a um passivo mensal que pode alcançar valores até mesmo superiores a R$1.000.000,00.

Ocorre que muitas empresas que sempre absorveram o passivo bancário de forma totalmente controlada, com a queda no faturamento motivado pela instabilidade econômica, sofreram grave alteração em suas condições de modo que a previsão de faturamento passou a não ser suficiente para pagar o quadro de funcionários, os tributos e ainda as instituições financeiras.

Essas são as empresas alvo de nossa proposta de trabalho. Empresas que, inevitavelmente, sofrerão as consequências do inadimplemento bancário, tais como as restrições de crédito, a execução dos contratos e das garantias móveis ou imóveis, resultando com o encerramento de suas atividades e o acúmulo de dívidas que, em um segundo momento, poderão se estender às pessoas físicas dos sócios.

 

Objetivamos auxiliar empresas que, ao longo de muitos anos mantiveram-se adimplentes perante todas as instituições financeiras mas, agora, enxergam como única alternativa, para manutenção de suas atividades, a revisão de seus contratos bancários, antes nunca questionados.

Destaca-se que com os depósitos judiciais, as empresas terão condições de adimplir suas obrigações perante as instituições financeiras e obter o fôlego necessário para superar a grave crise que assola nosso país.

Caso sua empresa esteja passando por essa situação, leia com atenção este artigo e entenda as vantagens que poderão ser obtidas com a revisão dos contratos bancários por um escritório jurídico especializado.

Entre em contato com o nosso escritório e agende uma avaliação em seu contrato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *