Postado por Bento Jr Advogados em 27/10/2016 com 2 comentários
Categorias:  Publicações

A primeira sugestão é sempre enfrentar a situação com seriedade e bom senso, não dá para fugir do problema que fica muito pior! Se você assumiu compromissos, faça o possível para honrá-los

É inaceitável mentir ou lesar qualquer um, temos que ter respeito e ética.

O bom senso da coisa é que respeito e ética não incluem permitir ser abusado e obrigado a pagar dívidas indevidas, em geral esses casos são ligados a contratos que se aproveitam da fragilidade dos consumidores.

Inicialmente vamos comentar sobre o que fazer com as dívidas verdadeiras, aquelas assumidas e não honradas em tempo por algum imprevisto, e por isso se tornaram um problema de difícil solução.

Básico: Sim, dívidas devem ser pagas. De preferência, em dia e nas condições pactuadas.

A melhor forma de se livrar das dívidas é não se aproximar delas. Evitar tentações, viver e consumir dentro da realidade econômica da família e não gastar mais do que se ganha.

Mas, o que fazer quando as dívidas já existem? A primeira coisa é encarar a situação de frente e com seriedade. Se você assumiu compromissos, faça o possível para honrá-los.

O dinheiro costuma respeitar isso. Quem enfrenta seus problemas financeiros normalmente encontra forças e caminhos para superá-los e, muitas vezes, vira o jogo de tal forma que em pouco tempo muda de devedor para investidor.

Os conceitos básicos sempre devem ser lembrados, vamos lá:

1 – Corte os gastos supérfluos imediatamente. Reduza também o quanto for possível nos demais gastos, inclusive no essencial. É preciso reduzir despesas para obter sobras de dinheiro.

2 – Faça um levantamento de todas as suas dívidas. Valores, taxas, vencimentos e condições estabelecidas. Verifique se o que está sendo cobrado faz parte do que você contratou.

3 – Verifique se você possui bens que possa se desfazer. Comece com os menos necessários, mas faça também algum sacrifício. É possível sobreviver sem carro, sim.

4 – Procure os credores. Explique a situação e procure renegociar os vencimentos e a eliminação de multas e taxas por inadimplência.

5 – Avalie se você consegue obter alguma linha de crédito mais barata do que as dívidas que você possui. A ideia é trocar dívidas caras por dívidas baratas.

6 – Se você conseguiu apurar algum dinheiro ou reduzir suas despesas, priorize a liquidação das dívidas mais caras e das menores. As caras porque acabam com seu dinheiro e as pequenas porque prejudicam a sua tranquilidade.

7 – Busque fontes de renda alternativas. Férias e finais de semana na praia são para quem está com as contas em dia. É melhor sacrificar os anéis para salvar os dedos. E os seus talentos? Procure encontrar formas de diversificar suas fontes de renda. E, com seu tempo ocupado, as tentações de gastar terão menos oportunidades.

8 – Estabeleça metas. Depois de conhecer, renegociar e reduzir as suas dívidas, é hora de estabelecer um prazo e um plano para acabar com elas. Coloque tudo no papel que parece ficar mais fácil de resolver.

9 – Certifique-se que seus direitos de consumidor estão sendo respeitados. Cobranças abusivas podem ser inibidas por meios legais. (dívidas bancárias e tributárias, problemas com empresas de telefonia, tv a cabo, companhias aéreas, em geral todas as grandes empresas)

10 – Por fim, mas não menos importante, lembre-se dos transtornos e prejuízos que as dívidas causam.

Esforce-se para acabar com suas dívidas, criar uma reserva para emergências e nunca mais se endividar.

Se necessário, procure ajuda de um profissional. Algumas situações precisam da intervenção e apoio de terceiros. Em especial as dívidas originadas dos abusos sobre o consumidor, atualmente os bancos são os grandes opressores, aumentando muito a dívidas dos consumidores além do combinado, isso tem solução, e suas iniciativas devem ser ágeis, normalmente a solução traz excelentes resultados de redução da dívida.

Outro grande abusador do brasileiro é a dívida fiscal, nestes casos existem várias formas de reduzir, alongar ou parcelar que são muito mais baratas que pagar os “REFIS” da vida, esse inclusive é um lobo e pele de cordeiro, você já soube de alguém que conseguiu quitar toda a sua dívida por meio destes parcelamentos? Eu não, e trabalho com isso há mais de 20 anos.

Gilberto Bento Jr é advogado, contabilista e sócio da Bento Jr Advogados.

Se identificou com algum dos problemas citados?
Entre em contato conosco e conheça as soluções que temos para você

 

2 thoughts on “10 dicas para ter a vida financeira saudável

  1. Guto Cataldo Reply

    Caro Dr Gilberto
    Muito bom o artigo, com dicas simples e valiosas.
    Parabéns
    Vamos falar a respeito dos “Refis da vida”
    Abraço!

    • Bento Jr Advogados Post authorReply

      Olá, Sr. Guto
      Fico feliz por ter gostado!
      Será um prazer poder ajudá-lo com o Refis.
      Abs,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *